8.6.10

Respostas

"Afinal, uma pessoa sempre responde com a sua vida inteira às perguntas mais importantes. Não importa o que diz entretanto, com que palavras e argumentos se defende. No fim, no fim de tudo, com os factos da sua vida responde às perguntas que o mundo lhe dirigiu com tanta insistência. Essas perguntas são as seguintes: Quem és tu?... Que querias realmente?... A que foste fiel ou infiel?... A quê ou a quem mostraste ser corajoso ou cobarde?... São essas as perguntas. E uma pessoa responde como pode, duma maneira sincera ou mentindo; mas isso não tem grande importância. O importante é que no fim, uma pessoa responde com toda a sua vida."

Sandor Maraí - As velas ardem até ao fim

6 comentários:

Bípede Falante disse...

Um livro e tanto este, não?

jacklyn disse...

Arrasador, minha querida.

provocação disse...

A força, a força nos momentos cerrtos é tudo... ou isso ou ainda me falta encontrar outros argumentos que me pareçam tão iportantes como o da força.

jacklyn disse...

Verdade. A força. Sempre tão maior quando a pensamos do que quando temos mesmo de a transformar em actos, não é?

provocação disse...

Se fôr para enfrentar sentimentos sim, é poucochinha. Se fôr para enfrentar o mundo físico não tanto, mas eu sou primária...

jacklyn disse...

Então somos duas :-)