5.7.10

Parir

Não é à toa que foi destinada às fêmeas a tarefa de carregar a cria no ventre e de a parir no fim do tempo. É que a Natureza sempre soube que uma fêmea, por muito que lhe doa, por muito que lhe custe, ainda que lhe rasgue as entranhas, a fêmea faz o que tem de ser feito, e a cria vem ao mundo. Há milhares, ou milhões de anos que é assim. Porque se esta tarefa fosse confiada aos machos, na hora da verdade, fechavam as pernas e ficavam à espera que passasse. É preciso fazer? Uma mulher faz. É fodido? Uma mulher faz. Custa cumó caralho? Uma mulher faz. Onde é que ela vai buscar a força? Pois ela não sabe, mas faz. E quando uma mulher tem de parir seja lá o que for, ela sabe que é para ela, ela sabe que ninguém o vai fazer por ela. Os homens, ao invés, esperam que passe. Os homens, por norma, não fazem. Em raras excepções eles podem até fazer, mas o truque é nunca esperar deles que façam. Fica tudo muito mais simples.

6 comentários:

Nawita disse...

:):)

O tempo dos homens é diferente do tempo das mulheres. Nós somos e sempre seremos mais expeditas.
Bonitas, perfumadas e bem vestidas também :)
Esperar por eles acaba sempre por trazer problemas,aqui tens razão.

Nós já vimos preparadas para suportar melhor a dor que o homem, para eles é fisicamente impossível suportar certas dores pelas quais as mulheres passam sem anestesia.

Quanto à força que as mulheres vão buscar sabe deus onde, tenho reparado que se torna ainda mais abundante depois de serem mães!

(Agora por falar nisso, não tens aí uma força que me dispenses? ;))

jacklyn disse...

Quando mais ando mais vejo que sim Nawita. Acho que é mesmo genético :) E depois da maternidade então, é assim uma espécie de fenómeno.

Ultimamente a gaja tem-me faltado um bocado, mas logo que haja stock mando-te uns kilos, pode ser? ;-)

Noya disse...

Eu sou mais "mariquinhas" com os que me estão próximos do coração. Quanto a mim, podem chover balas que não me queixo (nunca me queixei, aliás).

jacklyn disse...

É por aí Noya, é mais ou menos a mesma coisa. Nós passamos para segundo (ou terceiro, ou quarto) e eles são sempre a prioridade :)

Nawita disse...

Viram leoas e quando se trata de proteger a cria, sai de baixo!
Terceiro ou quarto lugar? Isso já é quando estão com sorte!

Quanto a pormos os outros em primeiro lugar, não sei se fazemos bem. Os filhos, quando pequenos, devem estar sempre em primeiro lugar, claro. Agora fazer isso com a família e amigos não é muito bom.
A não ser que encontremos o equilíbrio entre o tempo que despendemos a tratar dos outros e o que passamos connosco.
Seremos todas, todas assim? Os outros sempre em primeiro lugar?

jacklyn disse...

Os meus filhos estão sempre antes de mim, é instintivo.

Quanto aos outros, há outros e outros, há os do nosso sangue, e há os amigos (aqueles do coração) e depois há todos os outros. Esses, normalmente merecem que nos desunhemos por eles também sempre que necessário. E eu não tenho qualquer problema com isso.

Mas é verdade também que já caí no erro de pôr à minha frente outras pessoas de quem até nem gostava assim tanto e que até nem gaostavam assim tanto de mim e depois percebi que isso me fazia muito mal, vai daí que agora filtro sempre, e quando há situações dessas, é sempre com moderação.