27.4.11

Fome

Como esta merda não ata nem desata e os quilos ainda cá estão agarrados ao rabo e às coxas tenho de tomar medidas drásticas. Ontem fui ao médico e fartei-me de rir. Balança... ai. Até doeu. Assim bem, bem eram dez a menos, mas ficavam a ver-se muito os ossos de maneiras que são só sete. Sete têm de ir abaixo. E não é a cena do ai que está aí o Verão e ai a linha e ai o caralhinho mais velho. Não é nada disso. Não entro na roupa que tenho e não vou comprar roupa nova que não tenho paciência nem gosto da puta  da saga do entra, escolhe, despe, veste, despe, veste, sai, e entra de novo. Não gosto. Pelo menos esta sequência associada a roupa não gosto. Já o entra e sai e o despe, etc. mas noutra linha de raciocínio, não me importo mesmo nada, muito pelo contrário. Adiante. Estava portanto a conversar com o senhor doutor e a queixar-me que é mais forte do que eu e que tenho imensa fome desde que deixei de fumar quando o homem olha para mim, muito sério e me diz, mas menina, a fome não engorda. Explodi a rir. Evidentemente. Mas prometeu-me que me ajuda a controlar a fome. É que se isto continua assim, vindo o calor a sério vou ter de andar nua, é que não me safo, ainda se estivesse mais magra, era naquela, agora nua e gorda, não me dá mesmo jeitinho nenhum.

3 comentários:

Lolita disse...

Ó raios, percebi ou li mal, mas escreveste: "mas prometeu-me que me ajuda a controlar a fome" ???
Mulher, como eu te entendo, também deixei de fumar, também tudo me sabe tão maravilhosamente bem, como é bom comer!!
Anda, chiba-te e manda a receita ;)

jacklyn disse...

Leste bem :D Prometo que se esta merda resultar eu conto ;)

Lolita disse...

ok, ok. Fico à espera, enquanto isso... vou lanchar!!! hehehe, e logo à noite queimo isto, quase tudo!!! a correr... ;)