8.4.11

Carne

A carne que te alimenta o animal não passa de pó que à mínima brisa se espalha e desaparece no ar, o sangue que te ferve nas veias não passa de água que ao mais ténue raio de luz se evapora na pele. Deixa, dorme, respira, nada te fica, nada te marca, é impossível destruir o que está desfeito.

2 comentários:

Luis disse...

Olá Jacklyn,

É fodido, há momentos mesmo fodidos, momentos, períodos, ou até vidas inteiras completamente fodidas, mas também há alivio, sob as mais variadas formas.
Ele há alivio sintético, há natural, até o há tão simples e surpreendente que nos atinge sem o vermos, mas o radical minha cara, esse sempre por ultimo, porque a vida não rebobina.
Como diria Lavoisier, tudo o que se destroi, tudo o que está desfeito, para se remediar encontrará o seu jeito.

jacklyn disse...

Caro Luis, (ou será Junkie Jones?)
Gostei da "personalização" da Lei de Lavoisier... :) É conforme der mais jeito não é?